Grandes sucessos da década de 80

fevereiro 27, 2009 at 6:29 pm (Músicas)

Legião Urbana e RPM
Legião Urbana e RPM
 
 Legião Urbana foi uma banda brasileira de rock surgida em Brasília ativa entre 1982 e 1996. Ao todo, lançaram treze álbuns, somando mais de vinte milhões de discos vendidos. Ainda hoje, é o terceiro maior grupo musical, da gravadora EMI-Odeon, em venda de discos por catálogo, no mundo, com média de duzentas mil cópias por mês. O fim do grupo foi marcado pelo falecimento de seu líder e vocalista, Renato Russo, em 11 de outubro de 1996.
 
  O primeiro álbum Legião Urbana, lançado em dois de janeiro de 1985, é extremamente politizado, com letras que fazem críticas contundentes a diversos aspectos da sociedade brasileira. Paralelo a isso, possui canções de amor que foram marcantes na história da música brasileira, como “Será”, “Ainda é cedo” e “Por Enquanto”, esta última que é considerada como a melhor faixa de encerramento de um disco, segundo Arthur Dapieve, crítico e amigo de Renato Russo.

  As canções da Legião Urbana inspiraram regravações por músicos das mais diversas estéticas e tendências. Entre as releituras mais conhecidas estão a de Cássia Eller, para “Por Enquanto” e “1° de Julho”; Pato Fu, para “Eu Sei”; Paralamas do Sucesso, para “Química”; Jerry Adriani, para “Monte Castelo”; Zélia Duncan, para “Quase Sem Querer” Ira!, para “Teorema”; Lulu Santos, para “Índios”, Titãs, para “Sete cidades”, Capital Inicial, para “Que País é Este?” e do Barão Vermelho, para “Quando O Sol Bater Na Janela Do Seu Quarto”.
 
  Outra banda de grande sucesso na década de 80 foi RPM. Revoluções por Minuto (também conhecida somente por RPM) era um grupo de rock brasileirosurgido em 1985, tendo sido um dos mais populares do país nos anos de 1986 e 1987. Foi um dos grupos mais bem sucedidos da história da música brasileira. Na segunda metade dos anos 80, conseguiram bater todos os recordes de vendagens da indústria fonográfica brasileira. A suposta visão crítica e bagagem cultural do letrista Paulo Ricardofoi um argumento de marketing na vendagem dos discos da banda. A banda vendeu mais de 3 milhões de discos em sua carreira.
 
  Com influências do pop-rock inglês (o vocalista Paulo Ricardo morou em Londres por dois anos na primeira metade da década de 80), a primeira faixa de sucesso foi “Louras Geladas”, incluída no LP “Revoluções por Minuto”. Em 1986, com o lançamento de “RPM ao Vivo”, um sucesso absoluto de vendas, o grupo tornou-se um fenômeno nacional. Emplacaram quase todas as músicas do disco, entre elas “Revoluções por Minuto”, “Rádio Pirata”, “A Cruz e a Espada”. O disco seguinte, “Quatro Coiotes”, foi o último antes da banda se desfazer. Paulo Ricardo seguiu carreira solo, na linha de baladas românticas, e ainda juntou-se a Luís Schiavon em 1991 e 1993, para gravar os discos “Pérola” e “É Natal”. Sua formação era: Paulo Ricardo, baixo e voz; Fernando Deluqui, guitarra; Luís Schiavon, teclados; Paulo Pagni, bateria.
 
A influência da tecnologia na música.
Conforme a tecnologia vem se desenvolvendo a música também se desenvolve, nos dias atuais a música está por todos os lados, em bares, supermercados, propagandas e em muitos outros lugares.
 
A música que antes era usada para expressar nossos sentimentos, demonstrar afeto e também como meio de difundir a nossa cultura pelo mundo, hoje é usada muitas vezes para fins lucrativos. Pelo fato de a tecnologia ter se desenvolvido muito nas ultimas décadas a indústria da música cresceu muito e ficou bem mais fácil que a música se espalhe por todos os cantos do mundo.
 
A tecnologia tem grande influência na música, primeiramente por influenciar no estilo musical, como por exemplo, as músicas eletrônicas, e depois por ajudar na sua divulgação.

 As duas bandas citadas acima nunca tiveram a oportunidade de tocarem juntas mas nesse video a banda RPM faz uma homenagem a Renato Russo com a ajuda da Tecnologia onde podemos ver como seria esse encontro.

 

Link permanente 4 Comentários